Autorização para Supressão de Vegetação em Unidades de Conservação Federais

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), publicou hoje, 12.09, no Diário Oficial da União, a Instrução Normativa nº 7, de 4 de setembro de 2019, que altera a IN nº 1/2018 que trata dos procedimentos para Anuência para Autorização para Supressão de Vegetação no interior de unidades de conservação federais.


A Instrução Normativa modificada se aplica tanto para atividades sujeitas ao licenciamento ambiental, quanto para as atividades não sujeitas, nas hipóteses admitidas pela Lei do SNUC (Lei nº 9.985/2000), pelo decreto que a regulamenta (Decreto nº 4.340/2002) e pelo respectivo Plano de Manejo.


ALTERAÇÕES


No texto anterior, nos casos em que a área objeto da solicitação de Autorização para Supressão de Vegetação fosse em favor das populações tradicionais beneficiárias, comprovada que a atividade é de baixo impacto ambiental, poderia ser utilizado inventário florestal e florístico de áreas próximas para basear o cálculo dos valores referentes à indenização e consequente emissão de GRU.


Com as modificações realizadas, os requerimentos apresentados por entidades representativas de populações tradicionais residentes em UCs federais, não são mais obrigados a apresentar inventário florestal e florístico. Além disso, ficam isentos do pagamento pela indenização dos bens madeireiros e não-madeireiros a serem suprimidos no procedimento de emissão da Autorização para Supressão de Vegetação.


Para que isso ocorra, a atividade/empreendimento precisa estar de acordo com as norma, a ação deve ser realizada em benefício das famílias tradicionais e as entidades devem ser devidamente reconhecidas pelo ICMBio.


CONCESSÃO DA AUTORIZAÇÃO


O procedimento de concessão de Anuência para Autorização para Supressão de Vegetação é orientado pelas seguintes etapas:


I - Instauração do processo a partir da solicitação do órgão licenciador;

II - Análise técnica;

III - Deferimento ou indeferimento do pedido;

IV - Emissão e pagamento das Guias de Recolhimento da União – GRU, referentes à análise e à indenização por supressão de vegetação; e

V - Comunicação ao órgão licenciador.


Em relação aos documentos exigidos, é necessário apresentar:


I - Comprovantes de recolhimento das GRU emitidas;

II - Inventário florestal e florístico da área, a fim de identificar os aspectos qualitativos e quantitativos da vegetação a ser suprimida;

III - Plano de Supressão Vegetal; e

IV – Licença ambiental vigente do empreendimento.


Quando o ICMBio considerar a documentação apresentada incompleta, informará o fato ao órgão licenciador. Diante disso, o prazo para a anuência será interrompido até a sua complementação.


Para maiores informações, entre em contato com a nossa Consultoria Ambiental!



E-mail          contato@trilhoambiental.org

 

Telefones     +55  (31)  3221-6040 

                             

                             (31)  3245-8941

  • Linkedin da Trilho Ambiental
  • YouTube da Trilho Ambiental

Trilho Ambiental Ltda.

CNPJ 24.813.614/000.1-50

Rua José Pedro Drumond, n 204

 

Bairro Floresta, Belo Horizonte/MG 

CEP 30150-140

Mapa do Site:
Mapa do Brasil
Todos os direitos reservados à Trilho Ambiental Ltda.