• Caroline Martins

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO SOCIAL NÃO SÃO A MESMA COISA!





Embora o Programa de Educação Ambiental (PEA) e o Programa de Comunicação Social (PCS) estabeleçam um relacionamento com as comunidades, eles possuem focos diferentes


O estabelecimento de vínculos com as comunidades locais da região onde um empreendimento atua tem sido um fator de sucesso para muitos negócios.


O público-alvo, stakeholders ou as partes interessadas, como são conhecidos, são grupos de interesse por interferirem direta ou indiretamente no andamento de uma organização. Por isso muitas empresas têm buscado desenvolver ações que as aproximem desses grupos.


Criação de valor para a comunidade com Programas de Educação Ambiental e Comunicação Social


A criação de valor para a comunidade é vasta e tem incluído ações de responsabilidade socioambiental, comunicação social e educação ambiental.


Dentro do Licenciamento Ambiental, é comum aparecer a obrigação de apresentação do Programa de Comunicação Social (PSC) e Programa de Educação Ambiental (PEA). Esses programas possuem uma inter-relação, aonde um complementa o outro na busca por mudanças de atitude e formação de sujeitos conscientes.


Como essas áreas estão interligadas, a sua delimitação na hora de propor ações tende a gerar dúvidas para o empreendedor.


Diferenças entre Programa de Educação Ambiental e Programa de Comunicação Social


Embora ambos construam e estabeleçam um relacionamento direto com as comunidades, esses programas possuem focos diferentes.


Por exemplo, um projeto de educação ambiental descrito no PEA não pode ser confundido com a criação de uma cartilha. Esse material gráfico seria uma ação de comunicação social, do PCS.

Da mesma forma, ações de responsabilidade socioambiental como doação de cestas básicas, reforma de praças, dentre outros, não podem ser caracterizadas como educação ambiental.


Ações de Educação Ambiental buscam fazer com que as comunidades locais adquiram novos conhecimentos, habilidades e atitudes através de um processo contínuo de ensino-aprendizagem não formal.


As ações de Comunicação Social buscam informar, através de canais e diversas ferramentas de comunicação, para a interação e diálogo entre o empreendedor e as comunidades.



Instrumentos do Programa de Educação Ambiental e Programa de Comunicação Social


Os dois programas partem de atividades preliminares, como o mapeamento dos stakeholders, ou seja, das comunidades, bairros, que fazem parte da Área de Influência Direta (AID) do empreendimento e análise dos Estudos Ambientais (EIA/RIMA), dentre outros dados secundários da área a ser trabalhada.


Como instrumento de campo para a elaboração do PEA e do PCS é realizado um diagnóstico com as comunidades de entorno.


No PEA, o instrumento de articulação e empoderamento que visa motivar os grupos sociais envolvidos e construir uma visão coletiva da realidade local, é o Diagnóstico Socioambiental Participativo (DSP). O DSP é executado através de técnicas participativas que geram informação para a elaboração do Programa de Educação Ambiental (PEA).


O PCS se utiliza de entrevistas e articulação com canais de comunicação, além de ações como organização de campanhas, criação de informativos periódicos, envio de releases para a imprensa local, dentre outros.


Sabendo as diferenças entre Programa de Educação Ambiental (PEA) e Programa de Comunicação Social (PSC), o planejamento do estudo e as ações propostas ficam mais alinhados com a análise e as regras do órgão ambiental.


Precisa elaborar um PEA ou um PSC? Clique AQUI e saiba como podemos te ajudar!

0 visualização

E-mail          contato@trilhoambiental.org

 

Telefones     +55  (31)  3221-6040 

                             

                             (31)  3245-8941

  • Linkedin da Trilho Ambiental
  • YouTube da Trilho Ambiental

Rua José Pedro Drumond, n 204

 

Bairro Floresta, Belo Horizonte/MG 

CEP 30150-140

Mapa do Site:
Mapa do Brasil
Todos os direitos reservados à Trilho Ambiental Ltda.