• Thiago Santiago

IGAM inicia projeto piloto de monitoramento do uso da água por telemetria


Minas Gerais avança no desenvolvimento de soluções ambientalmente sustentáveis em áreas de conflito pelo uso da água a partir da instalação dos equipamentos para estruturação do primeiro sistema de monitoramento de recursos hídricos por telemetria do Estado. O projeto piloto, realizado na Bacia do Entre Ribeiros, região Noroeste de Minas Gerais, tem como objetivo dar maior transparência ao uso de recursos hídricos, automatizando o acompanhamento de vazão dos rios mineiros em regiões marcadas pela escassez hídrica.

Desenvolvido conjuntamente pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG), Associação dos Produtores Rurais e Irrigantes do Noroeste de Minas Gerais (IRRIGANOR) e usuários da Bacia do Entre Ribeiros, o projeto conta com a participação de seis empresas de tecnologia responsáveis pela implantação de metodologias para estruturação de um sistema de verificação remota do uso da água.

O monitoramento por telemetria realiza medições e coleta de dados, que são enviados por satélite ou internet a uma central de informações, onde poderão ser consultadas pelos usuários e pelo órgão gestor de recursos hídricos. A tecnologia se tornou uma exigência para a concessão de novas outorgas a partir da publicação da Portaria IGAM nº 48, em outubro de 2019.




Nesta primeira fase do projeto piloto, estão sendo instalados protótipos compostos por hidrômetros, horímetros e sondas de fluxo residual em propriedades rurais localizadas às margens da Bacia Hidrográfica do Entre Ribeiros. Cada protótipo irá integrar uma Unidade Demonstrativa de Sistema.


A etapa experimental, bem como todas as fases posteriores, será acompanhada por pesquisadores, analistas e especialistas de todas as entidades envolvidas no projeto, tendo como resultado a obtenção da metodologia definitiva de monitoramento. A expectativa é que, ao final do projeto piloto, o sistema seja reproduzido nas demais bacias hidrográficas de Minas Gerais.


Fonte: SEMAD


Para mais informações entre em contato com a nossa consultoria ambiental, clicando aqui.

5 visualizações0 comentário