Saiba a forma correta de gerenciar os resíduos têxteis




Os resíduos têxteis são gerados a partir de linhas, retalhos, estopas, roupas (uniformes), estofamentos, toalhas, panos e afins. Logo, pode-se dizer que a maioria das empresas irá gerar esse tipo de resíduo, cabendo, portanto, ao empresário, tomar atitudes relativas à destinação desse resíduo de forma ambientalmente correta.


Qualquer tipo de tecido, quando se torna resíduo, pode contaminar as águas e o solo se for depositado de maneira inadequada.


Os tecidos, quando são produzidos, possuem produtos químicos como corantes, tintas e antifungicidas. Então, quando descartados de maneira incorreta, contaminam os solos e cursos hídricos, além de provocar entupimentos em sistemas de tubulações, caso cheguem até estes, e acidentes com a fauna dos rios, como sufocamento, entre outros.


Reutilização e Reciclagem como princípios para a gestão dos resíduos


Devido aos seu potenciais impactos, os resíduos têxteis devem ser gerenciados, sendo destinados para a reutilização e/ ou para a reciclagem. Os processos de reciclagem de tecidos envolvem uma série de equipamentos e recursos que tornam o processo oneroso para a indústria. Por isso, torna-se bastante relevante a reutilização desse material ao máximo, antes de ser destinado para a reciclagem.


Sabe-se que com pedaços de panos e retalhos de tecidos é possível fazer a REUTILIZAÇÃO para artesanato, doação ou o próprio reúso dentro da empresa. O tecido pode ser reutilizado na empresa como pano para limpeza, estopa, para fazer algum tipo de revestimento, entre outras finalidades. Em casos que não mais se aplicam a reutilização, o resíduo têxtil poderá ser encaminhado para RECICLAGEM.


O processo de Reciclagem dos resíduos têxteis


O processo industrial de reciclagem de tecidos faz com que, o que antes era descarte, se transforme em fibra novamente, podendo ser transformado em diversos produtos.


As etapas da reciclagem dos resíduos têxteis são basicamente:


1) Limpeza dos tecidos

2) Descostura e corta em pedaços

3) Tritura

4) Transforma em fibra descontínua

5) Adiciona poliéster

6) Nova fibra


A nova fibra gerada por esse processo torna-se matéria-prima para a indústria produzir produtos como: revestimento de carros, peças e equipamentos da metalurgia, automobilística e mobiliário, além de se fazer colchões, forros e produzir novos tecidos sintéticos.


No caso de empresas que já atuam no setor têxtil, os resíduos poderão ser reincorporados no processo após passarem pela limpeza e desinfecção. Salientando que o efluente da lavagem dos resíduos têxteis deve ser destinado a uma estação de tratamento de efluente para, posteriormente, ser retornado aos cursos de água naturais.


Quando esta não for uma alternativa viável, uma boa solução é a confecção de estopas, que não exige eliminação da coloração do tecido, tão pouco a fiação deste, podendo apenas ser cortado em pequenos pedaços. Essa alternativa torna o processo mais econômico.


Precisa gerenciar seus resíduos industriais e não sabe por onde começar? Clique AQUI e converse com um de nossos consultores ambientais!

4 visualizações

E-mail          contato@trilhoambiental.org

 

Telefones     +55  (31)  3221-6040 

                             

                             (31)  3245-8941

  • Linkedin da Trilho Ambiental
  • YouTube da Trilho Ambiental

Trilho Ambiental Ltda.

CNPJ 24.813.614/000.1-50

Rua José Pedro Drumond, n 204

 

Bairro Floresta, Belo Horizonte/MG 

CEP 30150-140

Mapa do Site:
Mapa do Brasil
Todos os direitos reservados à Trilho Ambiental Ltda.