Energia Eólica




A energia eólica, também conhecida como energia cinética contida nos ventos, é considerada uma das principais fontes de energia renováveis do planeta, com um alto potencial de crescimento.


Atualmente existem milhares de turbinas eólicas em operação ao redor do mundo, não apenas para gerar energia mecânica, mas também eletricidade, o que predomina na geração de energia elétrica para aplicações autônomas ou interligada às redes elétricas convencionais.


As aplicações autônomas das turbinas eólicas são destinadas a áreas rurais e remotas, com a possibilidade de fornecimento em equipamentos públicos, fazendas, residências, etc. Já as aplicações conectadas à rede elétrica são divididas em dois tipos: a geração distribuída em sistemas de pequeno porte, conectados à rede convencional, e a geração centralizada, formada por conjuntos de turbinas eólicas interligadas às grandes redes, que fornecem mais de 95% da capacidade eólica instalada no mundo.


Nas últimas décadas, em diversos países, a energia eólica tem crescido mediante a adoção de políticas públicas e investimentos que possibilitam o aperfeiçoamento tecnológico dos equipamentos, em especial das turbinas eólicas, também conhecidas como “aerogeradores”, que fornecem potências entre dezenas de kW e alguns MW.


Em 2002 ocorreu o incentivo à geração da energia eólica no Brasil, mediante a criação do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), fixando metas de participação dessa fonte na rede elétrica do país. A partir de 2009, por meio do sistema de leilões, ocorreu o aumento significativo da capacidade instalada dessa fonte energética em território nacional.


Considerando o crescimento anual no país, especialmente na região Nordeste, a energia eólica se apresenta como uma das principais fontes de energia, que pode se beneficiar do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) por meio da comercialização de créditos de carbono junto aos países desenvolvidos.


Quer saber mais sobre Gestão Ambiental e Sustentabilidade? Clique AQUI para falar com a nossa consultoria ambiental.








5 visualizações0 comentário