Conheça os níveis de tratamento de esgoto para uma melhor gestão do seu efluente




O tratamento de efluentes domésticos e industriais se dá em locais denominados Estações de Tratamento de Efluentes, que têm por objetivo separar e diminuir a quantidade de materiais poluentes.


O grau do tratamento depende de diversos fatores: qualidade do corpo receptor, características necessárias para o uso da água a jusante do ponto de lançamento, capacidade de autodepuração e diluição do corpo d’água, legislação ambiental vigente e consequências do lançamento do efluente.


Além disso, deve-se considerar a origem do efluente (esgoto doméstico, industrial, agrícola), uma vez que suas características físico-químicas afetam a escolha do tipo de tratamento. Assim, o tratamento de efluentes pode ser dividido, de forma simplificada, em tratamento primário, secundário e terciário.



1. Tratamento primário


Tem por objetivo a remoção de sólidos em suspensão sedimentáveis e sólidos flutuantes através dos processos de sedimentação. Algumas plantas de tratamento possuem caixas de gordura destinadas à remoção de gorduras, óleo, graxas e outras substâncias com densidade menor do que a da água. Essa etapa do tratamento também é utilizada para equalização (amortecimento de picos de vazão e/ou concentração) e ajuste de pH.



2. Tratamento secundário


É a etapa mais importante do tratamento de efluentes e visa a remoção de matéria orgânica biodegradável solúvel e coloidal por ação de microrganismos e remoção de sólidos coloidais não sedimentáveis e suspensos para o interior dos flocos biológicos ou biofilmes.


Durante o tratamento, são removidos nutrientes (como fósforo e nitrogênio) e degradados compostos como carboidratos, óleos e graxas, proteínas e outros compostos complexos em componentes mais simples (como CO2, H2O, NH3, CH4 e H2S).


O tratamento biológico consiste, assim, na aceleração do processo de depuração que ocorre naturalmente, porém de forma compacta e concentrada. Ele pode ocorrer por meio de processos aeróbios, anaeróbios ou facultativos (ambos os processos ocorrem); em geral, fazem parte do processo de degradação aeróbica bactérias, fungos, protozoários, algas e vermes, enquanto o processo anaeróbio é conduzido basicamente por bactérias.



3. Tratamento terciário


Corresponde ao tratamento avançado de efluentes (também denominado polimento) quando se objetiva remover nutrientes que não puderam ser removidos durante o tratamento secundário, metais pesados, compostos orgânicos recalcitrantes/refratários, substâncias passíveis de causar cor e odor indesejáveis ao efluente e, eventualmente, quando se deseja a desinfecção do efluente (nos casos em que se busca o reúso da água).


O objetivo principal da remoção de nutrientes como fósforo e nitrogênio é o de evitar o fenômeno de eutrofização do meio aquático.


Para lançamento do efluente tratado, ele precisa estar dentro dos padrões de lançamento, conforme especifica a Resolução Conama no 430/2011.


Quer saber mais sobre Gestão Ambiental e Sustentabilidade? Clique AQUI e converse com a nossa consultoria ambiental.

4 visualizações0 comentário

E-mail          contato@trilhoambiental.org

 

Telefones     +55  (31)  3221-6040 

                             

                             (31)  3245-8941

  • Linkedin da Trilho Ambiental
  • YouTube da Trilho Ambiental

Trilho Ambiental Ltda.

CNPJ 24.813.614/000.1-50

Rua José Pedro Drumond, n 204

 

Bairro Floresta, Belo Horizonte/MG 

CEP 30150-140

Mapa do Site:
Mapa do Brasil
Todos os direitos reservados à Trilho Ambiental Ltda.