5 Controles Ambientais para Aterros Sanitários




Um aterro sanitário deve ser uma instalação com múltiplos controles: operacionais, topográficos, geotécnicos e claro, ambientais.


Como mitigação dos impactos ambientais, os aterros sanitários devem possuir uma técnica segura para a disposição final dos Resíduos Sólidos no solo, utilizando sistemas de controles ambientais importantes como a impermeabilização para proteção do solo e da água subterrânea, drenagem do líquido percolado para posterior tratamento e cobertura dos resíduos, bem como todo o monitoramento ambiental exigido pelo órgão ambiental licenciador.


O 5 principais tipos de controle ambiental para aterros sanitários são:


1 – Monitoramento as águas subterrâneas


Geralmente nas condicionantes de licença se exige o monitoramento das águas para análise de parâmetros físico-químicos e biológicos. Assim, verifica-se as características das águas e se está ocorrendo ou não alguma alteração de suas características após a passagem pelo aterro sanitário.


2 – Tratamento e análise do chorume


O tratamento e análise do chorume estão diretamente relacionados com as características dos resíduos que são recebidos. Um aterro licenciado para receber resíduos Classe II (não perigosos), deve gerar um chorume também Classe II.


3 – Sistema de drenagem e remoção do biogás


O biogás de um aterro sanitário deve ser queimado ou então aproveitado para a alimentação de motores para geração de energia elétrica.


O sistema de drenagem de biogás pode ser descrito como o conjunto dos elementos físicos que propiciam a adequada captação e o direcionamento disciplinado dos efluentes gasosos do aterro sanitário para seu sistema de tratamento (geração de energia e queima controlada).


A queima é importante pois um dos principais componentes do biogás gerado por um aterro sanitário é o metano, que ao ser queimado se converte em gás carbônico, oferecendo um impacto 21 vezes menos para o efeito estufa.


4 – Impermeabilização de base


O fundo de um aterro sanitário deve ser impermeabilizado para impedir que o chorume se infiltre pelo solo. Esta impermeabilização deve ser composta por uma camada de solo argiloso compactado, coberto com uma manta tipo PEAD de 2,0 mm,


5 – Inspeção de cargas industriais


Os aterros sanitários Classe II, em geral, são licenciados para aterrar conjuntamente resíduos sólidos urbanos e também resíduos industriais (não perigosos). No entanto, como são resíduos indutriais, é importante que sejam coletadas amostras.


O aterro sanitário deve possuir uma rotina diária de inspeção para que receba somente os resíduos sólidos constantes em sua licença de operação (Classe II).


Quer saber mais sobre Gestão Ambiental e Sustentabilidade? Clique AQUI e converse com a nossa consultoria ambiental!


9 visualizações0 comentário

E-mail          contato@trilhoambiental.org

 

Telefones     +55  (31)  3221-6040 

                             

                             (31)  3245-8941

  • Linkedin da Trilho Ambiental
  • YouTube da Trilho Ambiental

Trilho Ambiental Ltda.

CNPJ 24.813.614/000.1-50

Rua José Pedro Drumond, n 204

 

Bairro Floresta, Belo Horizonte/MG 

CEP 30150-140

Mapa do Site:
Mapa do Brasil
Todos os direitos reservados à Trilho Ambiental Ltda.