MPF convoca 'tuitaço' para barrar 'retrocesso ambiental' no país


O Ministério Público Federal (MPF) não gostou da aprovação, pelo Senado, das medidas provisórias 756 e 758/2016, de autoria do governo federal, e decidiu reagir. As normas, remetidas à sanção do presidente Michel Temer (PMDB), alteram os limites de dois parques nacionais, de uma floresta nacional e de uma área de preservação, o que, para o órgão, coloca “em risco um total de 1,19 milhões de hectares protegidos apenas no Pará e no Amazonas, o que equivale a todo o território de Sergipe”.

Para combater esse potencial dano, o órgão convoca os seus apoiadores a aderirem a um “tuitaço“, previsto para acontecer na manhã desta sexta-feira, a partir das 11h, na rede social Twitter. O MPF ressalta que a sua manifestação digital convocou grandes organizações não-governamentais, como Greenpeace e WWF, mas que está acessível a “todos que possuem perfil nessa rede social”.


Fonte: cartacapital.com.br

E o que dizem os ambientalistas?

De acordo com uma nota técnica divulgada pelo Instituto Socioambiental, a aprovação das MPs desprotege 1.19 milhão de hectares de unidades de conservação. Enquanto as florestas e os parques nacionais são áreas públicas protegidas, que permitem apenas atividades como turismo (Parna) e exploração seletiva de madeira (Flona), as APAs podem ser privatizadas, vendidas, desmatadas e ainda abrigar atividades econômicas como a mineração e a agropecuária.


1 visualização0 comentário