A função do PGRS na Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos

Você é eternamente responsável pelo lixo que gera. Sim, a gestão dos resíduos sólidos é de responsabilidade tanto dos cidadãos quanto das empresas.

O problema da geração de lixo é uma realidade da sociedade de consumo. Nas empresas, a geração de resíduos é o que chamamos de aspecto ambiental, ou seja, um elemento da operação de uma organização que possa interagir com o meio ambiente.

O seu gerenciamento deve ser pensado de maneira macro, de acordo com a seguinte ordem: 

Não geração > Redução > Reutilização > Reciclagem > Tratamento > Disposição final adequada

A Política Nacional de Resíduos Sólidos, criada em 2010, dá diretrizes para o enfrentamento do problema da geração de lixo através de uma gestão integrada, considerando aspectos como o ciclo de vida do produto, a logística reversa, o plano de gerenciamento dos resíduos sólidos (PGRS) e metas como a extinção dos lixões a céu aberto.

O ciclo de vida são as etapas que envolvem a criação e desenvolvimento de um produto, desde a obtenção de matérias-primas, passando pelo processo produtivo, consumo e a disposição final.

Fazendo uma análise do ciclo de vida, as empresas podem observar a quantidade de recursos que está sendo consumida para fabricar o produto, as emissões atmosféricas geradas, se o material é reciclável, dentre outros fatores, para assim decidir quais estratégias usar para reduzir os impactos gerados no decorrer do ciclo de vida. 

A logística reversa é o retorno de determinado produto ou embalagem ao processo produtivo ou para uma destinação correta, visando o aproveitamento de recursos e a preservação do meio ambiente. Nessa logística, a empresa fabricante fica responsável por recolher o produto ou embalagem, após o consumo.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, o sistema de logística reversa se tornou obrigatório para as seguintes cadeias:

• Agrotóxicos, seus resíduos e embalagens;
• Pilhas e baterias;
• Pneus;
• Óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens;
• Lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista;
• Produtos eletroeletrônicos e seus componentes;
• Produtos comercializados em embalagens plásticas, metálicas ou de vidro.

 

Para completar a gestão integrada dos resíduos sólidos, tem-se o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS).

Esse plano permite ao empreendedor ter essa visão macro dos resíduos que gera na sua operação, considerando as quantidades, grau de periculosidade, tipo de acondicionamento, coleta, transporte, tipo de tratamento e destinação final ambientalmente adequada. A partir daí é possível traçar estratégias para reduzir a quantidade de resíduo e os custos vinculados.

O PGRS se aplica a várias áreas, como saúde, construção civil e indústrias e por meio dele é possível obter inúmeros benefícios.

Através do Plano de Gerenciamento de Resíduos é possível reduzir consideravelmente a geração de resíduos em uma empresa e, consequentemente, os custos com transporte e destinação e com matérias-primas, visto que o resíduo é um recurso que não está sendo mais utilizado.

Por meio do PGRS também se identifica os tipos de resíduos gerados e seu grau de periculosidade, considerando o acondicionamento e destinação final de acordo com as normas técnicas e legislação ambiental. Desta forma, a empresa se previne de autuações e multas ambientais, melhora sua imagem e garante que o seu resíduo não está contaminando o meio ambiente.

A otimização dos espaços destinados ao armazenamento também é um benefício alcançado com o PGRS, através do planejamento da disposição, pois algumas empresas acabam tendo que alugar outros espaços para armazenar, gerando mais gastos.  

A higienização e organização também beneficia a saúde dos colaboradores e a produtividade, visto que evita o aparecimento de vetores, deixando o ambiente de trabalho mais agradável.

Para os empreendedores que estão buscando a licença ambiental, o PGRS pode ser um dos pré-requisitos, caso o órgão competente julgue necessário solicitar, de acordo com a atividade exercida. 

O manejo adequado dos resíduos sólidos é essencial para a saúde pública e a preservação do meio ambiente. Uma sociedade que não cuida do lixo que gera, tende a ser engolida por ele. Assim como no mito grego da esfinge, é o lixo quem diz: “decifra-me ou te devoro”.

E-mail          contato@trilhoambiental.org

 

Telefones     +55  (31)  3221-6040 

                             

                             (31)  3245-8941

Rua José Pedro Drumond, n 204

 

Bairro Floresta, Belo Horizonte/MG 

CEP 30150-140

  • Linkedin da Trilho Ambiental
  • Facebook da Trilho Ambiental
  • YouTube da Trilho Ambiental
Mapa do Site:
Mapa do Brasil
Todos os direitos reservados à Trilho Ambiental Ltda.